Photobucket
   Cáspita!

Zombis maledettos!


Começa nesta sexta, dia 19, uma das mostras mais bacanas do ano em São Paulo: Spaghetti Zombies 2.0: zumbis no cinema de horror italiano. Um apanhado com o melhor do pior dos filmes de zumbis da terra de Marco Polo, pai da multi-bilionária indústria do macarrão. A mostra foi realizada pela primeira vez em Recife pelo brazilian trash guru Osvaldo Neto, do blog Vá e Veja e recebeu a colaboração de Eduardo Santana, diretor do Cinefantasy, nesta edição paulistana ampliada.

Embora todos se lembrem de George Romero como pai dos zumbis (e só é o pai se considerarmos outros muitos avôs), os italianos talvez tenham explorado muito mais os zumbis em seu cinema, ainda que tardiamente. Depois dos muitos filmes dos anos 60 com zumbis haitianos, fruto de magia negra e vodu, Romero estebeleceu um novo modelo de mortos-vivos que serviria de base para futuros filmes ao redor do mundo. Já na Espanha o cineasta Amando de Ossorio também faz a lição de casa mostra sua versão de zumbis: templários ressurrectos condenados por um pacto demoníaco. Conhecidos como "os mortos sem olhos", a série espanhola gerou uma série com quatro filmes e inspirou outros tanto. Inclusive na Itália, onde os templários foram substituídos por etruscos. Nada mais apropriado que retornar às origens. Afinal, convenhamos que nem na Espanha ou na Itália zumbis haitianos fariam muito sentido.

Em 1974 o espanhol Jorge Grau dirige a excelente produção ítalo-espanhola Zumbi 3 (Non si deve profanare il sonno dei morti) rodada na maior parte na Inglaterra. Em Zumbi 3,os mortos são reanimados por uma contaminação radioativa, reverberando os mortos de Romero. Mas a Itália só entraria pra valer no jogo 10 anos depois de A Noite dos Mortos Vivos, quando Lucio Fulci realiza o famigerado Zombi 2, tentando dar sequência à saga de Romero de maneira livremente inspirada. Daí em diante, é ladeira abaixo.

O mundo inteiro já tinha explorado a temática dos cadáveres ambulantes. Os espanhóis já tinham encerrado sua saga de zumbis templários, e até os franceses já tinham abocanhado o filão, inclusive com zumbis nazistas. O que faltava explorar? A resposta era simples: toda a escatologia que a temática sugere, mas ninguém teve coragem de filmar. Estamos falando de corpos em decomposição animados por um impulso violento de se alimentar de carne humana (ou não necessariamente, como Fulci nos mostra em alguns de seus filmes). Cria-se a fórmula corpos em decomposição + corpos dilacerados por corpos em decomposição = cenas grotescas de revirar o estômago. Pronto! Mangia che te fa bene!

A mocinha prestes a ter o olho dilacerado por uma farpa de madeira em Zombi 2, de Lucio Fulci. Fãs do gore, alegrem-se: a cena é mostrada em detalhes grotescos.

Só o maestro Fulci foi responsável por cinco filmes de zumbis em um período de quase dez anos. Mas óbviamente ele não foi o único. Muitos outros diretores italianos correram atrás dos mortos-vivos para garantir a sua fatia do bolo, e criaram obras memoráveis, seja pela excelência ou pelo baixíssimo nível. Diretores populares como Umberto Lenzi, Bruno Mattei, Claudio Fragasso, Sergio Martino e outros criaram suas variações para o tema, e até comédias surgiram como Io Zombo, Tu Zombi, Lei Zomba, de Nello Rossati. Esses filmes tinham tanto apelo popular que foram exporatados para todas as partes do mundo, incluindo EUA e Brasil, onde muitos dos filmes exibidos na mostra chegaram a ser exibidos nos cinemas da época e posteriormente lançados em VHS. Infelizmente a maioria dos títulos continua solenemente ignorada em DVD por aqui.

Capa do VHS de "Predadores da Noite" (Virus) de Bruno Mattei, que será exibido no dia 27 de outubro, às 16h. A capa foi gentilmente cedida por Felipe Guerra, do blog Filmes Para Doidos.

Mas como toda fonte um dia seca depois de tanta exploração, os zumbis italianos começaram a desaparecer dos cinemas ainda no final dos anos 80. Contam-se nos dedos as produções posteriores ao período, mas vale detacar a obra do talentoso Michelle Soavi, Dellamorte, Dellamore, uma visão extremamente criativa e inovadora que rendeu um dos melhores filmes já realizados sobre o tema.

Pois a mostra Spaghetti Zombies 2.0 tenta passar ao público uma ideia do que foi essa produção de cinema popular na tália. Em tempos de mortos-vivos retornando à pauta da cultura pop, nada mais justo do que examinar atentamente um dos mais importantes períodos da produção de cinema de gênero no mundo, e que serviu de base para muitos cineastas das gerações seguintes. Vale lembrar que a mostra começa nesta sexta, dia 19 e vai até o dia 27 de outubro, mas nenhum filme será reprisado. Então, se perder, perdeu! A programação completa pode ser vista no site da Prefeitura de São Paulo, clicando aqui. E não percam o incrível debate que acontece no sábado, dia 20, às 19h30, logo após a exibição de Dellamorte, Dellamore, quando o editor deste blog se juntará ao jornalista Marcelo Carrard e o curador Osvaldo Neto para falar sobre... adivinhem? Zumbis no cinema italiano, oras!

A propósito, o cartaz criados para a divulagação da mostra foram concebidos e executados por este que vos escreve, totalmente inspirados pelas capas da Cripta. Abaixo estão outras duas versões do cartaz. Escolha a sua favorita e sai divulgando por aí. Nós e os zumbis agradecemos!

SERVIÇO:

O quê: Spaghetti Zombies 2.0
Quando: De 19 a 27 de outubro. Sessões às 16h e 18h. Debate dia 20, às 19h30.
Onde: Biblioteca Viriato Corrêa. Rua Sena Madureira
, 298 - Vila Mariana (próximo ao Metrô Vila Mariana)
Quanto: GRÁTIS!

 



Escrito por Tauffenbach às 15h34
[] [envie esta mensagem] []


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
HISTÓRICO



OUTROS SITES
 Asian Fury
 Blog do Blob
 Bonga Shimbun!
 B Movies
 Big Monster Movies
 Blog do Polvo
 Boca do Inferno
 Bakemon
 Cine Monstro
 Chip Hazard
 Cine Italia
 Cinema Cuspido e Escarrado
 Dollari Rosso
 O Dia da Fúria
 Dementia 13
 Diário de um Cinéfilo
 If Charlie Parker Was a Gunslinger, There'd Be a Whole Lot of Dead Copycats
 Filmes Para Doidos
 Kino Crazy
 Liga dos Blogues Cinematográficos
 Multiplot
 Mondo Paura
 Olhos Livres - O blog de Carlos Reichenbach
 Quixotando
 Radioactive Dreams
 Revista Zingu!
 A Sala Proibida
 Tablóides Imaginários
 Viscera Blog
 Viver e Morrer no Cinema
 Vá e Veja


VOTAÇÃO
 Dê uma nota para meu blog!